Vantagens de escriturar o LCDPR faturando menos de R$4.8 milhões

O Livro Caixa Digital do Produtor Rural – LCDPR foi instituído pela Instrução Normativa RFB Nº 1.848/2018. Em sua primeira entrega, a obrigatoriedade foi para os produtores que tiveram faturamento superior a R$ 7,2 milhões em 2019. Para o ano de 2020, a régua baixou para R$ 4,8 milhões.

As modificações e novidades nas escriturações fiscais impostas pela Receita Federal ocorrem sempre com a mesma lógica. Primeiro, os contribuintes com maiores faturamentos são obrigados a cumprirem novas exigências, nos anos seguintes os limites baixam.

Com o LCDPR não será diferente, em alguns anos a maioria dos produtores rurais estará obrigada a entregá-lo. A escrituração digital é obrigatória para os produtores que faturarem acima do limite, mas caso o seu cliente ainda não tenha atingido este faturamento, pode realizar a entrega do LCDPR também.

Listamos alguns motivos para que o produtor escriture o LCDPR, mesmo que não seja obrigado:

  • Uso da tecnologia a favor da informação: para escriturar o LCDPR são necessárias informações como o CNPJ/CPF do participante da operação, a conta por onde transitou o recurso e o imóvel vinculado a cada movimentação. Com toda essa gama de informações, você só tem a ganhar em riqueza de informações para gerenciar o seu negócio.

  • Se antecipe às fiscalizações: operações como a “DeclaraGrãos” em 2020 deram um susto em muitos produtores rurais. Os motivos de autuações foram ocultação de receitas e fraudes contratuais. Ao emitir o LCDPR corretamente, a Receita Federal terá acesso aos dados da escrituração do produtor sem a necessidade de solicitação de documentos. Constatando a lisura dos dados, o produtor sai do alvo das fiscalizações.

  • Esteja sempre um passo à frente: o processo para escrituração do LCDPR é diferente da escrituração do livro caixa analógico, pois depende de outras variáveis. Não deixe os problemas para o ano em que chegar a obrigatoriedade. Na Farmcont, você pode fazer a escrituração no modelo do LCDPR, e, caso tenha problemas para completar os dados, pode emitir o livro caixa analógico. Para o ano seguinte, basta corrigir os processos e gerar o arquivo do LCDPR.

Deixe seu comentário